Pack Talvez Seja Mentira e Azul Indiferente do Céu, de Shiko

R$60,00
Ver detalhes das parcelas
Digite aqui o seu CEP para calcular o frete:

Pack que reuni os álbuns Talvez seja mentira e O Azul Indiferente do Céu

 

Talvez Seja Mentira

"Literalmente, este álbum é um “panorama” erótico. Shiko (com ajuda nos roteiros do seu irmão, Bruno R.) remete aos “catecismos”, aquelas publicações baratas de HQs pornográficas, comercializadas clandestinamente entre os anos 1950 e 1970, que tiveram como seu grande símbolo o carioca Carlos Zéfiro (1921-1992), pseudônimo do funcionário público Alcides Aguiar Caminha.

Na primeira HQ, com toques de metalinguagem, um homem descobre que a ex-namorada mantinha um diário das suas anônimas escapadas sexuais, documentando tudo em forma de quadrinhos.

Além das lindas aguadas do Kama Sutra particular da moça nas mãos de Shiko, o inusitado desfecho contrabalanceia com um humor ácido e rasteiro, comumente encontrado nos seus trabalhos.

Já na segunda narrativa, o leitor acompanha um desses amantes casuais da garota, que se mostra tarada por citações em virtude de ser uma ex-aluna de Direito.

A edição é acompanhada de um slipcase (caixa) personalizado. A fragilidade do box é compensada pela altíssima gramatura do miolo e sua boa impressão em preto e branco.

Talvez o ponto negativo mais pulsante no álbum seja sua brevidade. Como um coito interrompido ou uma ejaculação precoce, o leitor voyeur desejaria conhecer mais das peripécias sexuais e pensamentos soltos da misteriosa garota, sempre focada na visão masculina.

Mas o gozo de ler uma bem contada – ou seria “bem dada”? – HQ de sacanagem é garantido".Audaci Jr, Universo HQ

Páginas: uma (com um metro de largura - estilo sanfonada) • Formato: 10 x 15cm • Acabamento: capa cartona + slipcase •

 

O Azul Indiferente do Céu

Fábula urbana sobre a violência e a banalização da morte na América Latina, ao reencenar os últimos momentos do ativista colombiano Héctor Abad Gómez, assassinado em 1987.

"A bela e detalhada arte de Shiko possui uma miscelânea de referências, que vão desde Will Eisner (1917-2005) até uma “pegada” europeia e nipônica, mas sem deixar de possuir uma precisa “impressão digital” do quadrinhista.

A edição é acompanhada de um pequeno cartão que mostra a foto do corpo de Héctor Abad Gómez e um texto explicando quem foi o ativista colombiano de um lado e a foto da família com o poema traduzido de Jorge Luiz Borges que encerra a HQ (e que dá nome ao álbum) do outro.

O azul indiferente do céu é uma prova de que a poesia de sabermos que “somos a ausência que seremos” pode ser transposta para a brevidade de uma história em quadrinhos." Audaci Jr, Universo HQ

Páginas: 80 • Formato: 17 x 26cm • Acabamento: capa cartona •